sexta-feira, junho 22, 2007


Cidadania na cozinha

Por Jaqueline B. Ramos

Alunas do projeto Cozinheiro Cidadão e suas receitas de Wraps (divulgação)

Cidadania também se faz na cozinha. Pelo menos é o que demonstra a mais nova opção no cardápio da rede de restaurante Wraps, de São Paulo, chamada de Wrap Cidadão. Aprofundando uma parceria que já dura 2 anos com estagiários nas cozinhas, o Wraps e o Instituto Lina Galvani, através do projeto Cozinheiro Cidadão, promoveram uma oficina seguida por um concurso e a melhor receita criada pelos alunos ficará um mês no cardápio dos restaurantes.
Resultado: de meados de junho a meados de julho um wrap com recheio de brócolis cozido, palmito, mandioquinha assada com azeite, mix de cogumelos com um leve toque de cream cheese e queijo cheddar com molho especial – diga-se de passagem, ovolacto-vegetariano, sem carne! - ficará à disposição dos clientes e toda a verba gerada com o lucro das vendas será revertida para o projeto. “Dependendo da aceitação do público nossa intenção é até deixar o Wrap Cidadão como uma opção fixa no cardápio”, diz Bianca Oglouyan, gerente de parcerias do Wraps.

Bianca explica que a parceria com o Cozinheiro Cidadão faz parte do conceito Wellness (Bem-Estar), adotado pela rede em todas as suas atividades. Isso significa permear todo o processo de produção, da qualidade dos ingredientes utilizados à metodologia de trabalho junto aos funcionários, com a idéia de que bem-estar nutricional, social e ambiental são questões interligadas e complementares. Daí se explica o uso de ingredientes orgânicos (sem agrotóxicos) e as parcerias e ações pontuais de cunho social e/ou ambiental, entre outras ações (veja mais no site do Wraps).

O projeto Cozinheiro Cidadão foi criado pelo Instituto Lina Galvani em 2005 e é realizado na favela do Jaguaré, zona oeste da cidade de São Paulo. Depois de pesquisas do perfil do morador da favela, levantamentos de demandas do mercado de trabalho e várias reuniões com a própria comunidade, o projeto foi concebido voltado para o público jovem de 18 a 35 anos. O objetivo é abordar o campo da gastronomia, que possibilita uma capacitação profissional para o mercado de trabalho mais abrangente. Cada turma estuda durante seis meses, sendo três meses na cozinha pedagógica e três meses de estágio em restaurantes parceiros, como o Wraps.

Cecília Galvani, diretora do instituto, ressalta que vários alunos do projeto já conseguiram espaço no mercado de trabalho e atualmente trabalham em restaurantes e/ou lanchonetes. “Mas o que foi inédito nesta parceria com o Wraps, sendo excelente para o projeto, é a oportunidade de captação de verba e o comprometimento com a continuidade dos trabalhos que isso gera nos próprios alunos. Essa experiência fez com eles se sentissem mais responsáveis e a participação foi até mais ativa”, destaca Cecília, informando que a parceria com o Wraps também já se estendeu para um turma piloto de um outro projeto do instituto, o Garçom Cidadão.

Mais informações: http://www.linagalvani.org.br/

3 comentários:

Happiness is a Warm Gun disse...

Muito bacana esse projeto. Porque apresenta uma oportunidade de pessoas que as vezes não são estimuladas a perceberem seu potencial e nesse projeto se vêem capazes de realizarem alguma coisa e também de sustentar-se com este ofício. Muito bacana e muito válido. São essas ilhas de solidariedade que nos dão alguma esperança neste mar de injustiças.
Abraços

Anônimo disse...

Excelente iniciativa. Os jovens têm talento, criatividade e só precisam de uma oportunidade. O melhor caminho para contruir um mundo melhor é mesmo o exercício da cidadania. Parabéns à empresa que adotou essa iniciativa e à jornalista pela divulgação do projeto. A difusão desse tipo de notícia certamente levará inspiração para outras empresas. Abraços. Elizabeth

Anônimo disse...

Excelente iniciativa. Os jovens têm talento, criatividade e só precisam de uma oportunidade. O melhor caminho para contruir um mundo melhor é mesmo o exercício da cidadania. Parabéns à empresa que adotou essa iniciativa e à jornalista pela divulgação do projeto. A difusão desse tipo de notícia certamente levará inspiração para outras empresas. Abraços. Elizabeth